Música

Trabalivre | Tribalistas

O que dizer do álbum novo dos Tribalistas, que mal saiu e já consideramos tanto?!

(Arnaldo Antunes / Carlinhos Brown / Carminho / Marisa Monte)

Um dia minha mãe me disse:
“você já é grande, tem que trabalhar”
naquele instante aproveitei a chance
vi que eu era livre para me virar
fiz minha mala, comprei a passagem
o tempo passou depressa e eu aqui cheguei
passei por tudo que é dificuldade
me perdi pela cidade mas já me encontrei

Domingo boto meu pijama
deito lá na cama para não cansar
segunda-feira eu já tô de novo
atolado de trabalho para entregar
na terça não tem brincadeira
quarta-feira tem serviço para terminar
na quinta já tem hora extra
e na sexta o expediente termina no bar

Mas tenho o sábado inteiro pra mim mesmo
fora do emprego
pra me aprimorar

Sou easy, eu não entro em crise
tenho tempo livre
pra me trabalhar

 

Música, Road Music, Wanderlists

Acústico no Rio de Janeiro | Natiruts

image


TRACKLIST


01 – Dentro da Música II (05:15)
02 – Groove Bom (03:38)
03 – Meu Reggae é Roots (03:21)
04 – Andei Só (04:22)
05 – Au de Cabeça (03:55)
06 – Vento, Sol, Coração (02:08)
07 – Reggae de Raiz (03:23)
08 – A Cor (04:01)
09 – Quero Ser Feliz Também (03:34)
10 – Supernova (04:01)
11 – Pérola Negra (Part. Especial: Luiz Melodia) (03:33)
12 – Glamour Tropical (03:53)
13 – Espero que um dia (04:25)
14 – Já chorei demais (03:26)
15 – Pedras Escondidas (04:57)
16 – Você Me Encantou Demais (03:35)
17 – O Carcará e a Rosa (03:28)
18 – Deixa o Menino Jogar (04:45)
19 – Liberdade Pra Dentro da Cabeça (04:15)
20 – Sorri , Sou Rei (Part. Especial: Sonia Savinelli) (05:13)
21 – Natiruts Reggae Power/Esperar o Sol (Part. Especial: Flora Matos) (04:32)

Continue lendo “Acústico no Rio de Janeiro | Natiruts”

Geral

Poema

(Cazuza / Roberto Frejat)

Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim

De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás