Na Estrada

 


“Qual é a sua estrada, homem? – a estrada do místico, a estrada do louco, a estrada do arco-íris, a estrada dos peixes, qualquer estrada… Há sempre uma estrada em qualquer lugar, para qualquer pessoa, em qualquer circunstância.” — Jack Kerouac*

 


A ARTE DE VIAJAR


Desde o meu primeiro mochilão internacional em 2013, para o Peru, o que era um blog de turismo econômico e viagens rápidas, vem se tornando uma pequena odisseia pessoal de exploração, descobrimentos e transformações.

Minhas viagens costumam ser rápidas, geralmente feitas nas férias (não, incrivelmente eu ainda não ganho a vida viajando), então talvez você não encontre nos relatos desta seção roteiros detalhados que são comuns em tantos blogs, guias e livros excelentes sobre viagens. Não é esse o objetivo.

Mas depois de alguns anos de estrada (e aeroportos, ferrovias, portos etc.), acredito que através dessas breves experiências os leitores consigam ter uma noção dos recursos necessários para viajar economicamente e do quanto é prazeroso conhecer uma boa parte das cidades a pé.

Ainda que eu geralmente viaje acompanhado, os relatos aqui expressam única e exclusivamente a minha opinião sobre os fatos ocorridos na estrada. Já as fotos são uma mescla das tiradas por mim com as tiradas por meus companheiros de viagem (sem processos hein, galera!)

À primeira vista pode não parecer, mas viajar também é um empreendimento. E qualquer empreendimento que se preze precisa de planejamento, orçamento e medidas de segurança adequados, correto? Nesse processo de planejamento é comum que o Administrador em mim assuma o controle da situação, o que acaba gerando inúmeras planilhas, arquivos e anotações sem fim. Os relatos, fotos e vídeos que resultam daí são as anotações que eu gostaria de manter para a posteridade.

Mundo
Países visitados até o momento

 

Por mais que as experiências encontradas aqui possam conter informações valiosas para quem viaja, não existem grandes pretensões (o “super” andarilho que vos escreve faz mochilões e viagens “super” econômicas…), é apenas uma forma de registrar experiências únicas e de matar a saudade depois de um tempo.

E por mais que algumas histórias possam parecer inspiradoras, meus caros, quando estiverem lá fora, “na estrada” não esqueçam que devem trazer de volta para casa os seus próprios roteiros, construídos no decorrer dos seus próprios caminhos e experiências.

O contato com outros países e suas culturas, climas, moedas, gastronomias e línguas diversas foi pouco a pouco alterando não só a minha visão de mundo, mas o meu próprio estilo de vida. Depois de conhecer uma boa parte dos países da América do Sul, em 2016 um mochilão pós-jogos olímpicos me trouxe à Europa e ao Norte da África pela primeira vez.

Em 2019, a vida me trouxe novamente à Lisboa e a cidade acabou por ganhar mais um carioca como habitante oficial. A capital portuguesa tornou-se o novo cenário de uma fase ainda inédita para mim: a do viajante-expatriado!

 

DSC_0423
Deserto do Atacama, Chile. Novembro de 2015.

 

Rodrigo Siqueira

Empreendedor | Fotógrafo amador | Filósofo de estrada | Pai | Ciclista | Freelancer | Airbnb Host | Projeto de escritor e nômade digital.

Formado em Administração de Empresas, com passagens por empresas nacionais e multinacionais do mercado financeiro e pelos Jogos Olímpicos Rio 2016, atualmente vive em Lisboa, Portugal, e presta serviços em projetos diversos nas áreas de Turismo, Marketing e Gestão Estratégica.

Contato corporativo: superandarilho@outlook.com

 

 

*Trecho retirado do livro Pé Na Estrada (On the Road) de Jack Kerouac.

América do Sul

“Soy lo que sostiene mi bandera
La espina dorsal del planeta, es mi cordillera
Soy lo que me enseñó mi padre
El que no quiere a su pátria, no quiere a su madre
Soy América Latina, un pueblo sin piernas, pero que camina
¡Oye!”

– Calle 13, Latinoamérica

África

“Toda manhã na África, a gazela acorda. Ela sabe que precisa correr mais rápido que o mais rápido dos leões para sobreviver. Toda manhã um leão acorda. Ele sabe que precisa correr mais rápido que a mais lenta das gazelas senão morrerá de fome.

Não importa se você é um leão ou uma gazela. Quando o sol nascer, comece a correr.”

– Provérbio africano

Europa

“Europa, tu virás só quando entre as nações
o ódio não tiver a última palavra,
ao ódio não guiar a mão avara,
à mão não der alento o cavo som de enterro
— e do rebanho morto, enfim, à luz do dia,
o homem que sonhaste, Europa, seja vida!”

– Adolfo Casais Monteiro, Europa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s