Espanha, Europa, Madrid, Original Content

Templo de Debod | Madrid, Espanha

Parecia impossível nos depararmos com um templo egípcio original em pleno centro de Madrid, but…

DSCF4694
Templo de Debod
Madrid, sexta-feira, 28 de outubro de 2016 (2° dia de viagem).

CAFÉ NO MUSEO DEL JAMÓN


Acordamos animados para aproveitar o segundo dia em Madrid. Como o nosso hostel não tinha café da manhã gratuito, resolvemos andar pelos arredores e achar por conta própria o nosso desjejum.  Bem perto de onde estávamos, na Calle Mayor, encontramos um restaurante/padaria com o sugestivo nome de Museo del Jamón (Museu do Presunto).

DSCF4790
Fachada do Museo del Jamón

Com vários presuntos ibéricos em exibição na vitrine, era impossível não prestar atenção ao passar pelo lugar. Pagamos cercas de 3,5 euros por um delicioso croissant com presunto serrano, um suco de laranja e um café.  Se algum dia você estiver por acaso nos arredores da Puerta del Sol (existem lojas em outros locais), não deixe de conhecer o Museo del Jamón. Vale muito a pena!


PLAZA DE ESPAÑA


O primeiro passeio programado para aquele dia, era conhecer o Templo de Debod. Para isso, nós pegamos o metrô até a estação Plaza de España e aproveitamos para tirar várias fotos da estátua de Miguel de Cervantes e dos seus famosos personagens Dom Quixote e seu fiel escudeiro, Sancho Pança.

DSCF4677 (2)
Estátuas de Dom Quixote e Sancho Panza na Plaza de España

Supostamente nascido em 29 de setembro do ano de 1547, em Alcalá de Henares, perto de Madrid, Miguel de Cervantes é considerado o maior escritor, romancista, dramaturgo e poeta de língua espanhola. Sua obra prima, O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha, publicado pela primeira vez em 1605, alçou seu autor à fama mundial.

DSCF4675
Detalhe da estátua de Miguel de Cervantes
DSCF4680
Visão geral da estátua

TEMPLO DE DEBOD


DSCF4717
Detalhes laterais do Templo de Debod

Chegamos no meio da manhã ao Templo de Debod, um templo egípcio do século II a.C. Devido à construção da barragem de Assuã, no século XX, o governo egípcio ofereceu o monumento à cidade de Madrid, uma vez que ele seria inundado. Em 1972, depois de ser transportado e reconstruído pedra a pedra, mantendo-se a sua orientação original de leste a oeste, o monumento foi aberto ao público na sua atual localização.

DSCF4692
Templo de Debod vista frontal
DSCF4739
Entrada

Para garantir a manutenção e a conservação do templo, são liberados apenas cinco visitantes por vez para conhecer o seu interior, o que pode ocasionar filas ligeiramente grandes uma vez que a atração é gratuita. Esperamos mais ou menos uma hora para conseguirmos entrar no monumento. Nos arredores do Templo de Debod, podemos avistar ao longe a cúpula da Catedral de Madrid.

DSCF4718
Detalhes das colunas
DSCF4706
Chafariz situado atrás do Templo de Debod
DSCF4710
Cúpula da Catedral de Madrid vista do Templo de Debod

PARQUE DEL OESTE


O Templo de Debod fica muito próximo do Parque del Oeste, por isso aproveitamos para ir caminhando conhecer a parte mais arborizada da capital espanhola. Localizado no bairro Casa de Campo, Parque del Oeste tem um ótimo teleférico para quem gosta de tirar fotos panorâmicas das cidades. Apesar de ter um preço um pouco salgado para os padrões mochileiros (5,9 euros), o passeio vale a pena.

DSCF4769 (2)
O Parque del Oeste também tem uma vista espetacular para a catedral
DSCF4756
Parte de Madrid vista do teleférico

DSCF4757

DSCF4768

DSCF4772
Parque del Oeste

MERCADO DE SAN MIGUEL


Voltamos para os arredores da Puerta del Sol e aproveitamos para conhecer o famoso Mercado de San Miguel, construído originalmente em 1916. Após dois anos de reformas, o mercado reabriu com uma proposta gourmet, colocando à disposição dos visitantes delícias como doces, embutidos, legumes, queijos, vinhos, cervejas e refeições completas. Aproveitei para comer um sanduíche e beber uma cerveja.

DSCF4792
O tradicional Mercado de San Miguel é uma ótima opção para compras e refeições típicas
DSCF4793
Uma das muitas entradas do mercado
DSCF4791
Geralmente fica assim o tempo todo: cheio!

E apara finalizar…


FRUSTRAÇÃO NO MUSEO DEL PRADO


Depois de rodar a pé uma parte da cidade e pararmos para o Fabricio comprar uma camisa quadriculada em um brechó, entramos no Museo del Prado em seu horário gratuito (18h às 20h). O museu fechou antes que pudéssemos ver todo o acervo de Goya, El Bosco etc. e resolvemos tentar voltar no dia seguinte após visitarmos Toledo (mais informações sobre o museu no próximo post).

DSCF4804
Aquela filazinha básica do 0800…

Gostou do artigo? Não esqueça de deixar a sua curtida e recomendar para os amigos através do compartilhamento!

Em breve, mais relatos e dicas sobre Madrid, Granada, Málaga e Sevilha!

Obrigado pela leitura e boas viagens!

Rodrigo Siqueira

Contato: superandarilho@outlook.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s